Encerrada desmontagem de grua na cratera do Metrô

Foi concluída por volta das 16 horas desta segunda-feira, 22, a desmontagem da grua que preocupava engenheiros do Consórcio Via Amarela desde o desmoronamento de terra que abriu uma cratera na futura Estação Pinheiros do Metrô, na zona oeste de São Paulo, no último dia 12. Havia o risco do equipamento cair no canteiro de obras e atingir a Marginal do Pinheiros ou imóveis da região. Segundo informações da reportagem da Rádio Eldorado AM, quinze operários e homens do Corpo de Bombeiros finalizaram a desmontagem do guindaste de 40 metros de altura e pesa 120 toneladas. O braço superior tem 80 metros de comprimento e 70 toneladas de peso. Os trabalhos começaram às 6h38, com um pouco de atraso em relação à previsão inicial, de 6 horas. Ao todo, trinta operários participaram da desmontagem, mas apenas um grupo de três pessoas por vez, no máximo, era içado ao topo da estrutura numa gaiola, por meio de guindaste que suporta 220 toneladas e ocupa a pista local da Marginal do Pinheiros, sentido Rodovia Castelo Branco.Outros dois guindastes, com capacidades para 300 e 500 toneladas, ficaram responsáveis por endireitar mais o eixo da grua para facilitar a operação, retirar as partes desmontadas do braço e levá-las até o chão. Mais três guindastes menores serviram de apoio para transporte de operários e deram sustentação às extremidades.Rompimento de fiosPor volta das 15h30, um dos caminhões envolvidos nos trabalhos rompeu a fiação e deixou os moradores da Rua Conselheiro Pereira Pinto, esquina com a Rua Gilberto Sabino, sem luz, segundo a Eletropaulo. A previsão é que o fornecimento de energia se normalize até às 18h30.Ainda segundo a Rádio Eldorado, as duas faixas da direita da pista local da Marginal do Pinheiros continuam interditadas, mas o trânsito ainda está tranqüilo. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) não tem previsão para a liberação das duas faixas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.