Encontrada moto que teria sido usada na morte de milionário

A polícia apreendeu neste domingo uma moto Honda, da cor roxa, do motorista de van Robson Andrade de Oliveira, de 27 anos. Ele é apontado pelos investigadores do assassinato de René Senna, milionário da Mega sena, como o amante da viúva Adriana Almeida, de 29 anos. Segundo testemunhas do crime, Senna, que tinha 54 anos, foi morto por um homem na garupa de uma motocicleta "roxa ou preta".O motorista, que se apresentou à delegacia de Rio Bonito às 21 horas de sábado, disse que a moto é usada por ele e pelo irmão para a prática de trilha. Ele garantiu que estava trabalhando no dia do assassinato, um domingo, e só soube da morte do milionário ao receber um telefonema de Adriana. O delegado Ademir Silva, que investiga o caso, quer saber se a motocicleta apreendida é a mesma usada pelos assassinos e vai ouvir novamente as testemunhas.Em seis horas de depoimento, Oliveira contou que ele e a viúva se conhecem há três anos e chegaram a namorar. Eles reataram o relacionamento em setembro passado e passaram o réveillon juntos em Arraial do Cabo, na Região dos Lagos. Segundo o motorista, Adriana se separaria em breve do milionário e eles passariam a viver na cobertura que ela comprou na cidade, dias antes da morte do marido. A viúva teria pago R$ 300 mil pelo imóvel. No documento de compra e venda, ela declarou não ser casada nem manter relacionamento estável. ContradiçõesSegundo o delegado, os depoimentos de Adriana e Oliveira apresentam uma série de contradições, a começar pelo réveillon. A viúva disse que passou a virada do ano sozinha em Arraial do Cabo, porque o marido queria ficar na fazenda de R$ 9 milhões, em Rio Bonito."Foi uma omissão de defesa moral, para proteção moral. Ela omitiu até dos advogados, o que nos deixou contrariados. Nós vamos pedir a retificação do depoimento dela", afirmou o advogado Alexandre Dumans, que defende Adriana. Dumans não acredita que o surgimento de Oliveira vá complicar a vida de sua cliente. "Eles não são amantes. Ele é ex-namorado de Adriana e tinham lá suas infidelidades. Isso é periférico". O advogado não está preocupado com a apreensão da moto. "Apreenderam o veículo porque ele tinha uma moto. Se não tivesse moto, não seria apreendida".René Senna era lavrador, profissão que deixou depois de ter as duas pernas amputadas em decorrência de diabetes. Passou a vender balas à beira da estrada. Em 2005, ganhou sozinho prêmio de R$ 52 milhões na Mega sena. Já milionário, casou-se com a ex-cabeleireira Adriana Almeida, mãe de três filhos de relacionamentos anteriores. Depois da morte de Senna, teve início briga entre a família do ex-lavrador e a viúva. A única filha do milionário, Renata, acusa Adriana de ser a mandante do assassinato. A ex-cabeleireira quer que a jovem passe por exame de DNA. Irmãos de Senna dizem que Adriana passou a administrar as finanças do marido e não permitia que ele tivesse contato com a família. Um dos irmãos disse à polícia que ele pretendia se separar, quando foi assassinado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.