Encontrados corpos de vítimas do naufrágio no Amapá

Foi encontrado, hoje pela manhã, ocorpo da jornalista e publicitária Simone Teran que viajava nobarco Cidade de Óbidos que naufragou ontem, no Rio Jari, aosul do Amapá. Também encontrado o corpo do empresário VictorSantos, assessor do ex-governador Anníbal Barcellos.Ainda estão desaparecidos Carina dos Santos, Luan Richard, Arquimedes Afonso, Cláudia Colares dos Santos e Alexandre Junior.Já está em Macapá o corpo do empresário Victor Santos, que chegou à capital às 12h20 (13h20 horário de Brasília), num avião bimotor pilotado pelo seu filho Victor Júnior.Junior, que estava no local do naufrágio desde ontem, contou que no momento em que o barco colidiu com a balsa, seu pai caiu e bateu a cabeça, desmaiando com o baque e caindo no porão do barco.Victor Santos assessorou por muito tempo o ex-governador Anníbal Barcellos (PFL). Durante o governo Barcellos foi diretor do Departamento de Transportes Aéreos do Governo do Amapá. Por várias vezes tentou um mandato político, concorrendo a cargos de vereador e de deputado estadual, mas não conseguiu se eleger. Ultimamente, ele ocupava o cargo de assessor especial do prefeito de Santana Rosemiro Rocha (PFL) e fazia parte do grupo que apóia a candidatura da deputada federal Fátima Pelaes (PSDB) ao governo do Amapá.Está prevista para o final da tarde de hoje a chegada do corpo da jornalista e publicitária Simone Teran, mulher do deputado estadual Manoel Brasil (PL). O Sindicato dos Jornalistas mobilizou a categoria para receber no aeroporto de Macapá o corpo da jornalista e fazer um grande cortejo até o local do velório.Simone Teran tinha 27 anos. Ainda adolescente deu os primeiros passos no jornalismo fazendo parte da equipe que editava o jornalzinho interno do Lions Clube de Macapá. Em 1990 ingressou no jornal Amapá Estado. Logo se destacou como uma das melhores repórteres, o que lhe valeu um convite da TV Amapá (afiliada da Rede Globo). Em pouco tempo Simone Teran já era chefe de jornalismo e apresentadora do Bom Dia Amapá. Mais tarde transferiu-se para a TV Marco Zero (afiliada do SBT) onde exerceu o cargo de chefe de jornalismo. Depois, decidiu abrir uma empresa de publicidade. Apesar de ter optado pela publicidade, Simone Teran mantinha uma coluna social no jornal Diário do Amapá. Ela estava no barco fazendo filmagens para a deputada federal Fátima Pelaes.Sobreviventes do naufrágio contam que na hora do acidente Simone Teran conseguiu com sua câmera pular do barco para a balsa. E da balsa ainda ficou fazendo imagens do acidente. "Acho que ela escorregou e caiu no rio", disse o ex-presidente da Federação das Indústrias do Amapá, Rodolfo Juarez, um dos sobreviventes do naufrágio. "Vimos ela na balsa filmando tudo de repente ela sumiu", contou.Simone Teran namorava há cerca de 10 anos com o deputado estadual Manoel Brasil (PL), com quem tem uma filha de quatro anos chamada Emanuelle. O barco Cidade de Óbidos que levava para o município deLaranjal do Jari a deputada federal Fátima Pelaes (PSDB),pré-candidata ao governo do Amapá e cerca de cem passageirosentre eles deputados federais, estaduais, vereadores, prefeitose simpatizantes de sua candidatura nafraugou na madrugada deontem ao bater em uma balsa que estava parada no rio semqualquer sinalização. Da lista de desaparecidos não consta nenhum político,mas assessores e seguranças. Para ajudar no resgate dos corpos,o governador do Pará, Almir Gabriel (PSDB), está mandando umaequipe de mergulhadores para o local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.