Encontrados os quatro jovens desaparecidos. Mortos

Uma denúncia anônima ajudou a políciaa encontrar ontem à noite os corpos dos quatro rapazes que haviam desaparecido no sábado, quando voltavam de uma casade shows em São João de Meriti, na Baixada Fluminense. Eles estavam dentro de um poço, em um matagal, no bairro deImbariê, também na Baixada. Segundo o delegado Renato Soares Vieira, da 62º Delegacia Policial (Imbariê), todos apresentavammarcas de tiro, principalmente na cabeça. Ainda não há pistas do crime. Os jovens foram enterrados hoje à tarde.O cabo do Exército Geraldo Santana de Azevedo Júnior, de 21 anos, Bruno Muniz Paulino, de 20 anos, e os irmãos Rafael, de19 anos, e Renan Medina Paulino, de 13 anos, foram vistos pela última vez no estacionamento da casa de espetáculos ViaShow, na Via Dutra, por volta de 4h30. Eles voltariam para casa no Gol de Azevedo Júnior. Uma amiga dos jovens, que não quis se identificar, disse no enterro que o motivo do crime pode ter sido um desentendimentocom os seguranças da casa. Segundo ela, algumas semanas atrás, os meninos tinham discutido com os funcionários da ViaShow. ?Talvez tenha sido um problema com os seguranças. Pela forma como eles foram mortos, os homens queriam algumacoisa. Ninguém tortura sem motivo.? De acordo com Vieira, os corpos estavam entrando em decomposição.?Temos que esperar o laudo da perícia para ver se houve realmente tortura, mas as cabeças estavam destruídas pelos tiros defuzil.? Ele disse que cápsulas desta arma foram recolhidas no local. Até o fim da tarde de hoje, o carro ainda não havia sidoencontrado. ?Ainda não dá para saber se foi latrocínio. Temos que considerar todas as hipóteses.? Já o secretário de SegurançaPública, Anthony Garotinho, informou que a polícia sabe que direção tomar. ?A polícia vai ouvir os familiares. Sabe que foi execução.? Ao tomar conhecimento do desaparecimento dos quatro rapazes, o secretário determinara ontemque a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense também entrasse no caso. Vieira contou que, por volta de 22h50 de segunda-feira, uma denúncia anônima chegou à delegacia, informando oparadeiro dos jovens.?Ligaram para cá (DP) e fomos checar. O lugar é horrível, ermo e tem vários poços. Não sabemos o que funcionou na área. Elesnão foram executados naquele local, só deixados ali.? Apesar disso, o delegado negou que o matagal seja usado para desova decadáver. ?Durante o ano, tivemos apenas dois homicídios lá.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.