Energia já voltou a 90% dos imóveis da região de Congonhas

Alguns dos cerca de 195 mil imóveis que ficaram sem luz na zona sul de São Paulo por conta do temporal de terça-feira continuavam sem energia até às 11h30 desta quarta-feira, 4. Até às 22 horas, a Eletropaulo tinha restabelecido o fornecimento de energia em 90% dos imóveis, depois que duas redes de fornecimento foram atingidas pelos ventos, que chegaram a 108 km/h. Segundo a Eletropaulo, apenas alguns trechos da região de Congonhas ainda têm problemas no fornecimento de energia elétrica. As principais vias são: ruas Canitá, Camundo, Antônio Gebara, Mario Pederneira e Deputado João Bravo Caldeira. Segundo a empresa, cerca de 100 equipes estavam na rua para restabelecer o fornecimento de luz nas regiões afetadas. Os endereços continuavam sem luz a pedido da Defesa Civil que realiza reparos no local. De acordo com a Defesa Civil do Município de São Paulo, a Rua João Carlos Mallet esquina com a Avenida dos Bandeirantes continuava sem luz porque havia destroços dos hangares da companhia TAM, que caiu durante o vendaval de terça. Após o temporal, 15 pessoas ficaram desalojadas na região, uma pessoa ficou ferida, dez caros foram atingidos pelos destroços, 20 árvores caíram e quatro foram cortadas. Segundo a Defesa Civil, a companhia aérea encaminhou os moradores para um hotel na região e todas as despesas serão pegas pela empresa. Na manhã desta quarta, foram registrados 536 ocorrências de falta de energia em pontos isolados de unidades consumidoras. A Eletropaulo prevê zerar esta demanda até às 16 horas. Os bairros de Santo Amaro, Moema, Planalto Paulista, Indianópolis, Jardim Aeroporto, Vila Clementino, Alto da Boa Vista, Saúde e Vila Mariana ficaram sem luz desde às 16h06 de terça, quando o temporal atingiu a capital paulista, mas a situação já foi normalizada. Mais temporal O Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura (CGE) informou que existe a possibilidade de novo temporal na tarde desta quarta. Mas, segundo a meteorologista da CGE, Lucyara Rodrigues, a chuva não será tão forte como a de terça. "O calor vai continuar ao longo da tarde e a passagem de uma frente fria pode provocar temporais e rajadas de ventos", explica. "O temporal não será tão forte como o visto ontem, mas isso depende muito do local onde ele ocorre." De acordo com o CGE, ontem foram registrados nove pontos de alagamento na capital. Segundo o professor do Instituto de Astronomia,Geofísica e Ciências Atmosféricas(IAG)da USP, Augusto José Pereira Filho, os ventos chegaram a 110km/h na região do Aeroporto de Congonhas com a vinda da típica chuva de verão no final da tarde. "A nuvem de chuva se formou em Itapecerica da Serra, passou pela região de Congonhas e só foi parar em Guarulhos. E por causa da grande evaporação d´água na Zona Sul da capital, houve chuva de granizo e fortes rajadas de vento", explica.

Agencia Estado,

04 Abril 2007 | 11h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.