Engenheiro reage a assalto e é morto a facadas

Garcia teve casa invadida no Morumbi, viu que revólver era falso e atacou ladrão com faca, mas foi dominado

Andrezza Zanandrea e Marcela Spinosa, O Estadao de S.Paulo

14 de junho de 2008 | 00h00

O engenheiro argentino Ricardo Fernando Monserrat Garcia, de 54 anos, foi morto a facadas, em uma tentativa de assalto, dentro de sua casa, no Morumbi, zona oeste de São Paulo, na madrugada de ontem. A residência, na Rua Horácio Sandieri, foi invadida por quatro jovens, um deles encapuzado e, segundo a polícia, armado com uma pistola de brinquedo. Ao notar que o revólver era falso, Garcia pegou uma faca e reagiu. Mas ele foi dominado pelos criminosos e morto. Esse é o segundo caso em uma semana de reação a roubo que termina em morte. Segundo a polícia, à 0h10 os jovens escalaram o muro de um terreno baldio ao lado da casa e pularam para o quintal. "Quando fomos sentar para comer, ele (criminoso) já estava ao lado da porta da cozinha", contou a caseira Rosilene Silva de Jesus, de 22 anos. "Ele me empurrou e falou que era para ficar quieta porque senão seria morta. Dei um grito bem forte e um vizinho ouviu." Além dela, estavam na cozinha Garcia, sua mulher, seu filho de 24 anos e outro caseiro. A segunda filha do casal, de 19, não estava. Garcia percebeu que a arma utilizada por eles era falsa. Segundo a polícia, o engenheiro pegou uma faca e agrediu um dos assaltantes, um menor de 14 anos, com uma facada nas costas. O engenheiro teve a faca tomada pelos ladrões e foi atingido com quatro punhaladas. Ele foi levado com vida para o Hospital Albert Einstein. "O Leandro (filho mais velho do casal) fez respiração boca a boca, mas não teve jeito", contou Rosilene. Os criminosos fugiram sem levar nada. O menor de 14 anos foi encontrado no Pronto-Socorro Municipal Bandeirantes, na região do Butantã, onde foi detido. Os outros ladrões, todos aparentemente menores, não foram encontrados. O caso foi registrado no 34º DP (Vila Sônia) onde será investigado. O corpo de Garcia foi enterrado na manhã de ontem no Cemitério do Morumbi. A família de Garcia não quis comentar o caso.OUTRO CASONo último dia 7, o administrador Jader Gama de Almeida, de 41 anos, foi morto com cinco tiros ao reagir a um assalto na sua casa no Brooklin, na zona sul. Dois ladrões dominaram a empregada e entraram na casa. Os bandidos já saíam do local com um notebook, uma mala e dois relógios quando Almeida apareceu na sacada com um pistola calibre 380 nas mãos.Fez quatro disparos, mas não acertou nenhum. Um ladrão revidou. O administrador foi atingido na região do abdome. Os bandidos fugiram. Almeida morreu a caminho do hospital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.