Enquete mostra que paulistano tem medo de ir à Sé e à República

Enquete realizada pelo Portal Estadão mostrou que a maioria dos internautas de São Paulo não freqüenta as praças da Sé e da República devido à falta de segurança. Das 1066 pessoas que responderam à pergunta "Por que você não freqüenta as praças da Sé e da República?", 672, ou 63,04%, culparam a falta de segurança. Cartões-postais da capital paulista, as duas praças impressionam por estarem sempre vazias. "É um círculo vicioso. Ninguém entra porque se sente inseguro e essa percepção se dá porque as praças são vazias", diz o vice-presidente da Emurb, Geraldo Biasoto Júnior.Para os técnicos da Empresa Municipal de Urbanização (Emurb), a culpa é principalmente da arquitetura. Por isso, a reforma das duas praças, que começou neste mês e vai até novembro, inclui recursos específicos, como o rebaixamento da iluminação da República ou a criação de área pantanosa na Sé, para aumentar a sensação de segurança nesses locais.A segunda resposta mais votada foi o excesso de moradores de rua que lotam os locais, para 280 pessoas, ou 26.27%. Estudos da Secretaria Municipal de Assistência e Promoção Social indicam que cerca de 2.500 moradores de rua vivem no centro e têm a Sé como parada obrigatória.A falta de iluminação e sujeira foram os motivos menos citados pelos internautas que participaram da enquete, que ficou no ar de sexta-feira, 28, à tarde desta segunda, 31. Apenas 99 pessoas, 9,29%, apontaram a sujeita como motivo para não freqüentarem as praças, contra 15, 1,41%, que condenaram a falta de iluminação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.