Enredo sobre Lula leva PT ao Anhembi

Homenagem da Gaviões da Fiel a ex-presidente pode transformar sambódromo em palanque

DAIENE CARDOSO, AGÊNCIA ESTADO, O Estado de S.Paulo

23 Setembro 2011 | 03h02

A homenagem da Gaviões da Fiel ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no carnaval paulistano de 2012 será mais do que o encontro entre samba e política. Será também a oportunidade que o PT terá de se destacar num ano eleitoral. Chamado de "estrela guia", Lula é retratado nos dez sambas-enredo que disputam a preferência da escola como o garoto predestinado do sertão nordestino que fez a "faculdade da vida" e se tornou líder da Nação. Como a história dele está intimamente ligada ao PT, o partido poderá pegar carona e fazer do sambódromo do Anhembi seu palanque eleitoral.

Oficialmente, a escola diz que pretende dissociar a imagem de Lula da "estrela" petista, mas sutilmente ela ganhou espaço nas letras dos sambas. "Por justiça e liberdade lutou/Brilhou a estrela do trabalhador", enaltecem os versos de um dos enredos.

Para os sambistas, Lula é visto como o exemplo de líder criado pela escola da vida. "Na faculdade da vida/Um operário dos sonhos se formou/De mãos dadas com o trabalhador/A estrela de um partido então brilhou/Tanta censura/A bandeira da bravura tremulou", diz a letra de outro.

As viagens de Lula entre 1993 e 1994 pelo País, as chamadas Caravanas da Cidadania, também foram lembradas: "Eu vi brilhar a minha estrela/Na democracia um ideal/Viajei por todo o País/Fazendo o povo mais feliz."

O ponto alto das letras é a primeira eleição de Lula em 2002, quando a campanha tucana usou depoimento da atriz Regina Duarte que dizia temer a eleição do petista. "E assim, a esperança vence o medo/O povo alcança a vitória"; "Feliz, a nossa gente está mais feliz/ Esperança vence o medo do Oiapoque ao Chuí", celebram trechos de duas canções.

Num dos sambas, a virada do candidato que perdeu três eleições consecutivas é comparada ao jogo de xadrez. "No jogo da democracia de peão foi rei!/Deu xeque-mate com sabedoria/Estrela guia em que eu me inspirei."

A história do garoto analfabeto que "sacudiu o Planalto" também foi lembrada e ganha um final feliz, no qual o protagonista sai consagrado: "Nunca antes neste País/Eu vi o povo tão feliz".

Foram inscritos 16 sambas, mas no máximo quatro devem chegar à final marcada para 7 de outubro. A Gaviões estima que gastará até R$ 3 milhões. Por enquanto, conta com recursos da Prefeitura, dos direitos de TV, da Liga das Escolas de Samba e da venda de fantasias, mas faz questão de declara que está à procura de patrocinadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.