Enterrada uma das vítimas de acidente aéreo no Rio

O corpo da engenheira de exploração e produção da Petrobras, Leila Ventura Abreu, de 44 anos, foi enterrado no fim da manhã deste domingo, 2, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro. A engenheira é uma das 19 vítimas do acidente com avião da empresa Team, modelo LAT-410, que se chocou contra o Pico da Serra Bonita, em Boa Esperança, distrito de Rio Bonito, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, na noite de sexta-feira, 31.Outras quatro vítimas serão enterradas no Rio, entre elas o piloto Michael Peter Hutten. Pelo menos cinco serão sepultados em São Paulo: Thais Vaz dos Santos, Ribamar Cassemiro, Hugo José Correa, Benedito Paladini e Mauro Neves. Ainda não foram identificados os corpos do co-piloto Albaruz Jaime Eloir, e de Jaques Berne, Márcio Pereira, Marco Galasso, Marco Lattari. Os peritos tentarão fazer a identificação por comparação de arcada dentária ou exame de DNA.CausasAs causas do acidente ainda não foram determinadas, embora fontes do Departamento de Aviação Civil (DAC) tenham admitido que o mau tempo na região possa ter contribuído para a tragédia.Além dos corpos das vítimas, as equipes de resgate recuperaram, após 18 horas de buscas, as duas caixas-pretas da aeronave.Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil, o resultado das análises dos últimos minutos de conversa entre o piloto, o co-piloto e a torre de controle, assim como das informações dos instrumentos de navegação, deverá demorar pelo menos um mês.O diretor da agência, Leur Lomanto, ressaltou que os dois tripulantes tinham "bastante experiência".Mauro Almeida, diretor comercial da empresa proprietária do avião, a Team, disse que em janeiro a aeronave foi submetida a uma rigorosa manutenção de dois meses, e que o piloto Michael Peter Hutten, um ex-oficial da Força Aérea Brasileira (FAB), tinha 30 anos de experiência.A maioria dos passageiros mortos pertencia ou tinha vínculos com a Petrobras, informou a estatal em um comunicado.O acidenteO acidente ocorreu na divisa entre os municípios de Rio Bonito e Saquarema, num local com morros cobertos por mata, de difícil acesso. Segundo bombeiros, o avião se chocou com o topo de um morro. Moradores de Casemiro de Abreu, município próximo a Saquarema, teriam visto um avião voando baixo e, em seguida, ouvido uma explosão.O bimotor desapareceu do radar no fim da tarde desta sexta-feira, 31. O vôo 6865 decolou de Macaé, cidade do norte fluminense, às 17h20, e deveria ter pousado no Aeroporto Santos Dumont, no Rio, às 18 horas. (Com EFE)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.