Entidade denuncia tortura em presídios do Rio

O Conselho da Comunidade, entidade fiscalizadora do sistema penitenciário do Rio, divulgou nesta terça-feira quatro relatórios denunciando espancamentos no presídio Ary Franco, onde chinês Chan Kim Chang morreu, e nas casas de custódia Jorge Santana e Bangu V, no complexo de Bangu. Os documentos foram elaborados a partir de visitas de representantes do conselho e de outras entidades de direitos humanos feitas entre março e junho deste ano.O presidente do conselho, Marcelo Freixo, apresentou cópia da ata da reunião que teve com o secretário de Administração Penitenciária, Astério Pereira dos Santos, e do número do protocolo de registro da entrada dos documentos na secretaria para provar que Santos sabia que agentes vinham agredindo presos. Procurado pelo Estado, o secretário, que, no fim de semana, negou ter recebido os documentos, não foi encontrado hoje.Dos relatórios constam denúncias de agressões graves e humilhações impostas por agentes do Serviço de Operações Especiais (SOE) do Departamento do Sistema Penitenciário (Desipe). No Ary Franco, visitado em 27 de março e em 24 de junho, presos foram torturados e não receberam tratamento médico para tratar dos ferimentos, segundo as denúncias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.