Entidades cobram maior segurança para jornalistas

Assustados com o desaparecimento do jornalista Tim Lopes, aAssociação Brasileira de Imprensa (ABI) e o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio querem pressionar o governo do Estado para dar mais segurança à categoria. Representantes das duas entidades querem se encontrar com a governadora Benedita da Silva (PT) também para tentar agilizar a solução do caso de Lopes. A Associação Nacional de Jornais (ANJ), que também manifestou sua preocupação com osumiço de Lopes, considera que a liberdade de imprensa está ameaçada.A ABI tem a intenção ainda de contatar a Associação de Correspondentes Estrangeiros para que a questão ganhe repercussão internacional. Na terça-feira, a organização Repórteres Sem Fronteira, com sede em Paris, já havia divulgado nota em que pedia às autoridades do Estado do Rio o esclarecimento do caso. A ANJ acredita que o episódio ?reflete a falta de garantias para que um profissional da imprensa desempenhe suas funções.? ?A existência de condições de segurança para o exercício profissional constitui um requisito para a liberdade de expressão. Não havendo essas condições, cerceia-se o direito de informar e de ser informado, previsto pelaConstituição brasileira?, diz a nota divulgada pela ANJ.Para o presidente do Sindicato dos Jornalistas do Município, Nacif Hidd Sobrinho, que vai pedir a Benedita da Silva um empenho específico para que o paradeiro do repórter seja desvendado, o trabalho dos jornalistas está sendo prejudicado pela violência no Rio. ?Para bem informar, precisamos da liberdade primária de ir e vir, que é inerente à nossa profissão?, acredita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.