Entrada de Palocci na escolha reduz chances de Adams

O processo de indicação do substituto do ministro Eros Grau teve pelo menos dois nomes dados como certos. Primeiro, o escolhido seria o ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Cesar Asfor Rocha. Depois, o advogado-geral da União, Luis Inácio Adams.

Bastidores: Mariângela Gallucci, O Estado de S.Paulo

29 Janeiro 2011 | 00h00

O ministro do STJ Luiz Fux, que não constava nessa lista, é tido agora como o favorito. Em 2010, Fux ganhou notoriedade ao presidir uma comissão de juristas encarregada de elaborar um anteprojeto para o novo Código de Processo Civil.

Conforme comentários nos bastidores do governo e do STF, a mudança ocorreu porque o processo teria sido assumido pelo ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. No governo Lula, a escolha concentrava-se nas mãos do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos.

Adams era o preferido de Lula. Considerado competente, o advogado-geral da União interveio com sucesso em momentos-chave para o governo, como a derrubada de liminares que impediam o prosseguimento do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem), no ano passado, e na briga pela concessão de licenças ambientais para obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.