Entre policiais presos, maioria cometeu homicídio

PMs envolvidos em furtos e roubos a caixas eletrônicos representam 11,38% dos 202 detentos do Presídio Militar Romão Gomes, na Água Fria, zona norte da capital. São acusados dessa prática 23 agentes. Em 2007, foram presos oito; em 2008, nove; e, neste ano, mais 6, até o dia 6. Mas a maioria dos presos do Romão Gomes é acusada de homicídio - 43,4%, conforme um amplo estudo feito pela Polícia Militar. No local, 88 homens e uma mulher são presos condenados e 111 homens e duas mulheres presos provisórios.Na avaliação da PM, o número de detentos é pequeno, em comparação com o universo da tropa, de 90 mil homens. Para o ouvidor das Polícias, Antonio Funari Filho, porém, "é ruim para a sociedade" o grande número de suspeitos de assassinato. "Eles foram treinados, receberam farda e armas para defender a vida."Dos 90 presos por homicídio e não demitidos, um sexto era do 37.º Batalhão. Eles foram acusados pela Polícia Civil de integrar o grupo de extermínio batizado de "Highlanders", acusado de execuções em Itapecerica da Serra. Ontem, o Ministério Público de São Paulo denunciou à Justiça seis "highlanders". Outros quatro haviam sido denunciados na semana passada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.