Entregas chegam a ser recusadas

O fogão comprado numa loja de departamento por pouco não chega. Os funcionários ligaram do depósito dizendo que só podiam fazer entrega em São Paulo e aquela Rua 7 de Junho pertencia ao município de Guarulhos. Morador do bairro União de Vila Nova há 18 anos, Francisco Soares de Oliveira já está acostumado com a confusão. Foi até a loja, com o guia de ruas e a conta de luz, para provar que, sim, é um morador da capital paulista. "Mas na verdade, por causa dessa história do Rio Tietê, eu nem sei se sou mesmo", diz.Na época em que tinha emprego, Oliveira morava de aluguel na Vila Maria. Depois que foi demitido, teve de cortar os gastos com a casa e a alternativa foi enfrentar uma ocupação irregular. Ele foi um dos primeiros moradores de União de Vila Nova, numa época em que lá não havia rua e a mudança tinha de ser carregada na mão. "Fomos nós que abrimos caminho, que puxamos água na mangueira e a luz no gato", conta. "Quando a CDHU chegou para urbanizar já tinha muita coisa." Oliveira, hoje comerciante, já viu muita coisa mudar no bairro, mas a sensação de que são esquecidos pelo poder público permanece a mesma. "Tem uma lista grande de melhoria, mas a lista do que falta aqui ainda é bem maior."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.