Entrevista

O vice-presidente técnico da TAM, Ruy Amparo, afirmou que o Airbus A320 apresentou problemas no reverso direito, mas os manuais da empresa liberavam o avião para vôo. As declarações de Amparo foram feitas em uma entrevista exibida na noite de ontem no ''''Jornal Nacional'''', da TV Globo. Leia a seguir os principais trechos: Qual é o histórico da aeronave que se acidentou em Congonhas? Investigamos três meses antes e não encontramos nenhuma pane significativa. Pane significativa significa alguma pane que pode alterar o seu padrão de vôo significativamente. Mas, na sexta-feira, o avião apresentou um tipo de problema? Teve um report (relatório) de mau funcionamento de um dos reversores. Nesse caso, o manual manda que você iniba mecanicamente esse dispositivo, mas você pode liberar o avião para vôo por dez dias em qualquer condição de pista. Mas não é considerado grave esse tipo de alerta? Absolutamente. Ele está nos manuais. Nós podemos liberar até com dois reversores inoperantes. Essa aeronave que se acidentou passou a voar sem o reversor? Passou a voar sem o reversor direito. Teve problemas em um dos reversores na sexta-feira? Teve uma mensagem em um dos reversores. Esse reversor foi travado. Isso em nenhum momento poderia provocar algum risco? Absolutamente. Pelos manuais você não têm nenhuma alteração em performance de pista, exceto em pistas muito contaminadas O que significa contaminadas? Seria de chuva muito forte. Não era o caso do que acontecia em São Paulo? Absolutamente. Não era o caso declarado aqui. A aeronave apresentou problemas ao pousar em São Paulo na sexta-feira? Ela decolou de Confins (MG) e pousou em São Paulo Não. Nós temos o livro de bordo para provar. Ela veio de Confins, vôo 3215, sem problemas na máquina.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.