Entrevista de Marcola à Band é falsa, confirma laudo

O laudo do Instituto de Criminalística concluiu que não é de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, considerado líder da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) a voz veiculada em entrevista feita por telefone celular pelo jornalista Roberto Cabrini, da TV Bandeirantes, na madrugada do último dia 18 de maio. A juíza auxiliar do Departamento de Execuções Criminais e Corregedoria dos Presídios (Decrim) do Tribunal de Justiça de São Paulo, Isaura Cristina Barreira, decidiu enviar à 1ª Delegacia Seccional da Polícia Civil da Capital uma cópia do documento.De acordo com o despacho, a 1ª Seccional deverá apresentar informações sobre o inquérito que apura o delito de apologia de crime ou criminoso, bem como enviar ao juízo uma cópia do depoimento do jornalista. A Corregedoria dos Presídios está apurando, neste caso, o uso de celulares dentro de estabelecimento penal, que é proibido e configura prática de falta grave. Marcola está detido em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) no Presídio de Presidente Bernardes, no interior de São Paulo, por força de decisão judicial.Em nota oficial divulgada por sua assessoria da imprensa, a Band se defendeu, alegando que o laudo não é definitivo. Confira a íntegra da nota:"O laudo do Instituto de Criminalística sobre o trabalho de investigação jornalística feito pela Band, está longe de ser a última palavra sobre o assunto. Tão logo teve acesso à perícia, a Band a encaminhou para análise crítica do renomado professor Ricardo Molina, uma das maiores autoridades no assunto no país. O advogado criminalista Cid Vieira de Souza Filho, patrono da Band no caso, afirma: ´Esse laudo elaborado pelo Instituto de Criminalística é imprestável porque não apresenta qualquer evidência de ordem técnica que permita uma conclusão a respeito do material analisado. No momento oportuno a Band vai demonstrar as falhas do laudo do Instituto de Criminalística´. A autoridade policial que preside o inquérito tem conhecimento de que Roberto Cabrini está na cobertura da Copa na Alemanha e que tão logo retorne, prestará os devidos esclarecimentos." Atualizada às 18h55

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.