Equipes de TV são expulsas de bairro em Vitória após ação da polícia

Repórteres foram hostilizados e ameaçados por manifestantes que protestavam contra ação policial que resultou na morte de um adolescente de 17 anos

LUCIANA ALMEIDA, Especial para O Estado

25 Outubro 2016 | 19h24

VITÓRIA - Equipes de jornalismo que faziam a cobertura de um protesto na região dos bairros da Penha e Itararé, em Vitória, capital do Espírito Santo, foram hostilizadas e ameaçadas por manifestantes. O protesto era contra uma ação da Polícia Militar, que resultou na morte de um adolescente de 17 anos. A região é conhecida pelo intenso tráfico de drogas. 

Pela manhã, uma equipe da TV Gazeta, afiliada da Rede Globo e que fazia transmissão ao vivo do conflito no local, composta por repórter, cinegrafista, técnicos e engenheiros, tiveram o carro depredado por manifestantes. Os profissionais conseguiram se refugiar em uma loja e ninguém se feriu. No começo da tarde, uma equipe de reportagem da TV Vitória, afiliada da Rede Record, também foi hostilizada pelo grupo e expulsa do bairro por um grupo de manifestantes.

O protesto começou na manhã desta terça no local conhecido como Rua da Estrela, e foi realizado por manifestantes contrários à ação da Polícia Militar durante uma ação que resultou na morte de um adolescente de 17 anos, pela manhã, no Bairro da Penha, em Vitória. Os manifestantes também depredaram um veículo dos Correios.  

A confusão terminou por volta das 10h30, mas no início da tarde, os moradores voltaram a realizar protestos na região do Bairro da Penha. Eles derrubaram uma caçamba de lixo, colocaram fogo e interditaram parte de uma rua na região. Um comércio teve a porta arrombada e parte da mercadoria foi derrubada no chão. Um carro que estava estacionado na região também teve os vidros quebrados.

Durante a tarde, a Polícia Militar ocupou os bairros São Benedito, Itararé, Gurigica e bairro da Penha. Em nota, o Sindicato dos Jornalistas no Estado do Espírito Santo (Sindijornalistas/ES) repudiou e lamentou a agressão aos profissionais de jornalismo. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.