Equipes devem retomar buscas em escombros no Rio

Devem ser retomadas na manhã de hoje as buscas por vítimas do desabamento do prédio de cinco andares, onde funcionava o Hotel do Rosário, no centro do Rio, na esquina da rua 1º de Março com a do Rosário. Pelo menos duas pessoas podem estar sob os escombros. No início da madrugada, os trabalhos das equipes da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros foram suspensos, pois os dois prédios vizinhos correm o risco de desabar.Segundo os técnicos, o prédio ao lado sofreu abalos em sua estrutura e está se apoiando nos escombros do que desabou. Uma parede que resistiu ao desmoronamento já cedeu alguns centímetros e pode cair a qualquer momento. A remoção dos escombros será retomada após o prédio vizinho ser escorado. A possibilidade de demolir os outros edifícios ainda não foi descartada. Segundo o porteiro do prédio que caiu, um casal que estava hospedado no hotel não conseguiu sair a tempo e deve estar sob os escombros. Ontem, os bombeiros usaram cães farejadores, mas não encontraram sinais de sobreviventes. A Defesa Civil também considera remota a possibilidade de haver alguém com vida sob os escombros. Hoje as equipes devem usar um "detector acústico", aparelho capaz de detectar a respiração, o calor e até o batimento cardíaco de seres humanos. No desmoronamento, três pedestres que passavam pelo local ficaram levemente feridos. Eles foram atendidos no Hospital Souza Aguiar, no centro da cidade. Antônio Carlos Bolhosa, de 60 anos, Sérgio Batista da Silva, de 42 anos, e Paula Ariane Neves de Alcântara, de 18 anos, sofreram escoriações leves. Antônio Carlos foi pisoteado, mas passa bem. Cerca de dez minutos antes do acidente, causado provavelmente por uma falha numa obra no andar térreo, a estrutura do edifício estalou, o que alertou os ocupantes e aqueles que estavam na rua.Segundo laudo da prefeitura do Rio, divulgado no início da noite de ontem, as obras que estava sendo feita no térreo do edifício causaram o desabamento do prédio. Segundo o documento, houve imperícia técnica na execução da reforma no restaurante que funcionava no local. Um mezanino teria sido demolido indevidamente, abalando a estrutura do edifício.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.