Erro em relatório da PF beneficiou Palocci

Segundo o site Congresso em Foco, a Polícia Federal divulgou um relatório que aponta outra pessoa como titular de telefone celular utilizado pelo ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci e à época, seu assessor particular Ademirson Ariovaldo da Silva. Este equívoco, acabou por preservar Pallocci das investigações da CPI dos Bingos.No documento entregue à CPI há várias referências ao celular em questão, que, segundo o site, recebeu 32 ligações de Rogério Buratti e duas de Waldomiro Diniz, e pertencia à funcionária pública Núbia Patrícia Aquino Alves. Porém, o celular era propriedade da Secretaria de Administração da Presidência da República e sob a responsabilidade de Ademirson.Buratti foi acusado de envolvimento na máfia do lixo de Ribeirão Preto, que atuou durante a gestão de Palocci como prefeito, até 2002, e na polêmica negociação da renovação do contrato entre a Caixa Econômica Federal e a Gtech, multinacional de processamento de loterias. Waldomiro, também envolvido no caso Gtech, foi afastado da subchefia de Assuntos Parlamentares da Casa Civil após a divulgação de vídeo em que aparecia cobrando propinas do empresário de jogos Carlos Cachoeira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.