Erundina é contra taxa de iluminação

A ex-prefeita de São Paulo, deputada Luíza Erundina (PSB-SP), disse ser contrária à aprovação de uma nova taxa de iluminação pública nas cidades. A Câmara dos Deputados aprovou ontem, em primeira votação, proposta de emenda constitucional que autoriza os municípios e o Distrito Federal a cobrar essa taxa. Durante entrevista para a Rádio Eldorado ela afirmou que a carga tributária brasileira já é excessiva e lamentou o desinteresse do governo federal em aprovar a reforma tributária. "O Brasil precisa de uma reforma tributária, que há anos está tramitando na Câmara dos Deputados e, por conta da pressão do Executivo federal, esse projeto não vai a voto", salientou a deputada. "O Brasil está precisando de uma reforma que distribua de forma mais justa a carga tributária e que se distribua entre as esferas de governo - Município, Estado e União - de forma mais igualitária essa quantidade de recursos."Luiza Erundina afirmou que houve uma tentativa de estender a cobrança de taxas também para lixo e reforma urbana, mas esses dois últimos itens acabaram sendo recusados pelos deputados. "Foi uma luta muito grande que fizemos para poder garantir pelo menos que não se incluisse a taxa de lixo e a taxa de pavimentação e de conservação", destacou Erundina. Ela criticou ainda a possibilidade de as câmaras municipais incluirem a cobrança na própria conta de luz por nivelar pessoas que têm capacidade desigual de pagamento. "Isso interessa às concessionárias porque elas podem incluir até os postes, a fiação. É um absurdo que onera de forma perversa a imensa maioria da população."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.