Esclarecida uma tentativa de estupro na região da USP

Um dos seis casos de estupro ou tentativa ocorridos dentro e nas proximidades do campus da Universidade de São Paulo, a Cidade Universitária, na zona oeste de São Paulo, já está esclarecido. Segundo a delegada Maria Cristina Mazzarello, da 3ª Delegacia de Defesa da Mulher, o autor do atentado violento ao pudor contra a faxineira M.P.S., de 48 anos, é o cabo da Marinha Jeorge Ferreira do Nascimento, de 30 anos.Nesta terça-feira, ele foi reconhecido formalmente por dois motoboys que testemunharam o ataque e acabou indiciado, depois que M.P.S. decidiu representar contra ele. Ela já havia participado de uma tentativa de reconhecimento do militar, no dia 3, mas alegou que não tinha condições de identificá-lo.Em seu depoimento, o cabo admitiu ter mantido "contato físico" com M.P.S., mas alegou que houve consentimento dela. Ele disse que estava num ponto de ônibus quando a faxineira se aproximou, pedindo informações sobre o Hospital Universitário. "Eu me ofereci para acompanhá-la e ela aceitou." Eles teriam se beijado e passado a ser acariciar, quando os motoboys chegaram. M.P.S. afirma que seguia para o hospital quando foi dominada por ele. Ela teria levado uma pancada na cabeça e, depois, o oficial teria começado a tirar sua roupa. Foi quando os motoqueiros apareceram.Apesar da instauração do inquérito, a delegada não pediu prisão temporária. "Ele tem residência fixa, é primário, compareceu à delegacia todas as vezes que foi requisitado", disse. Na semana que vem, ela pretende ouvir testemunhas favoráveis ao oficial. Depois, o inquérito segue para a Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.