Escola onde bebê foi atingido por bala, no Rio, tem ato pela paz

Bebê foi operado na terça e já teve alta

Roberta Jansen, O Estado de S.Paulo

18 Maio 2018 | 14h40

RIO - Pais, alunos e professores do Colégio São Vicente de Paulo, no Catete, na zona sul,  fizeram nesta sexta-feira, 18, um ato de solidariedade à família de Caíque de Carvalho, de seis meses, atingido por uma bala perdida na última segunda-feira, 14, na quadra da escola. 

Todos foram vestidos de branco, rezaram e cantaram a música A Paz (de Gilberto Gil).  A mãe de Caíque, Tatiana Rosenthal, afirmou que o filho é "o nosso bebê incrível, com apenas seis meses e tantas histórias para contar". 

"Todos nós ainda estamos muito consternados por tudo que aconteceu, imaginar que o âmbito escolar, que acreditamos ser a mais poderosa instituição para diminuir as diferenças sociais e erradicar a violência, acabou entrando nas manchetes dos principais jornais do país em consequência dela, é impensável", disse Tatiana, que também publicou seu texto numa rede social.

+++ Bala deflagrada é achada em frente a colégio onde bebê foi baleado

"Nossa família acredita que pela educação um país se desenvolve e evolui, formando uma sociedade melhor, portanto nossa crença é que as instituições educacionais precisam ser protagonistas nesse dever social. Nossa cidade precisa de um desejo coletivo. De práticas que realmente transformem - na em um símbolo. Chegaremos à paz através do bem e do amor, e não pela guerra e ódio. É fazer o bem ao próximo e espalhar amor em todos os nossos atos. Não devemos esperar os governantes, devemos liderar esse movimento em nossas regiões por meio do engajamento de todos. 

+++ Rio: 15 crianças foram vítimas de bala perdida

Vamos acreditar que juntos podemos fazer muito mais pelo mundo e pelas próximas gerações. Estamos muito felizes pela rápida recuperação física do INCRÍVEL Caíque e, nesse sentido, agradecemos ao empenho e competência de toda a equipe médica envolvida, vocês são anjos na terra." 

Caíque foi operado na terça-feira, dia 15, e já teve alta. Seu estado de saúde é bom. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.