Escolas do Rio intensificam ensaios técnicos

Ensaios no sambódromo são abertos ao público e gratuitos e chegam a reunir até 30 mil pessoas

Talita Figueiredo, de O Estado de S. Paulo,

05 Fevereiro 2009 | 02h19

RIO - As escolas de samba e os blocos de rua do Rio intensificam os ensaios para aperfeiçoar a coreografias e a evolução na avenida. Além de ocupar quadras e ruas próximas às escolas, praticamente todos os integrantes e alas, como a bateria, participam de desfiles técnicos no Sambódromo. Os ensaios, abertos e gratuitos, chegam a reunir 30 mil pessoas. Para dar realismo, as escolas passam a usar alegorias nos ensaios.    Veja também:  Cobertura completa do carnaval 2009  Blog: dicas para quem quer curtir e para quem quer fugir da folia  Especial: mapa das escolas no Rio e em SP    A Império Serrano, por exemplo, levou ao Sambódromo um tripé com uma imagem de São Jorge para substituir o abre-alas - um segredo absoluto até o dia oficial do desfile. A imagem, que foi usada no último carro do desfile Império do Divino, em 2006, foi restaurada para ser levada para a avenida nos ensaios técnicos. Além de demarcar a evolução do abre-alas, conjugando ritmo do percurso com coreografia da comissão de frente, a imagem mostra ao público um colorido.   "Temos o São Jorge como nosso padroeiro e na escola há uma devoção muito forte ao santo. Como voltamos para o Grupo A neste ano, resolvemos colocar a imagem na avenida para levantar o ânimo dos componentes. Para o público, normalmente o efeito do ensaio técnico tem pouco atrativo visual. Qualquer coisa que se leve causa muito impacto", disse a vice-presidente de Carnaval da escola, Raquel Valença.   Os ensaios de rua também são boa opção para quem gosta de samba na multidão. Todos os domingos, as alas das comunidades ensaiam. A Grande Rio, segundo o assessor de Eventos Avelino Ribeiro, chega a ter mais de 10 mil pessoas acompanhando a escola. "Temos trio elétrico e as alas fazem um minidesfile de preparação. É muito animado e serve para a população aprender o samba."   A escola também se apresenta em locais requintados, como o Clube Monte Líbano, no Leblon, que cobra até R$ 2.500 para camarotes para 20 pessoas. "Nesses shows vão muitas celebridades, levamos passistas, temos intérpretes especiais e a nossa bateria", disse Ribeiro. A Grande Rio e outras escolas promovem feijoadas aos sábados. A próxima da Mangueira, uma das escolas mais procuradas por turistas, será no dia 14.   Para quem gosta mais das antigas marchinhas, o carnaval já começou. A maior parte dos blocos já escolheu seu samba e já há ensaios e desfiles programados até o fim deste mês. O mais antigo deles, que completou 90 anos em dezembro, é o Cordão da Bola Preta, com desfiles marcados para os dias 13, 21 e 24 deste mês. Informações podem ser obtidas no site da associação de blocos de rua e da Liga Independente das Escolas de Samba.

Mais conteúdo sobre:
carnaval 2009

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.