Dida Sampaio/AE
Dida Sampaio/AE

Escolas têm aulas suspensas no Maranhão devido às chuvas

Problema é que a maioria das escolas está alagada ou serve de abrigos para desalojados ou desabrigados

Wilson Lima, especial para O Estado,

12 de maio de 2009 | 19h12

As escolas das redes públicas estaduais e municipais de ensino das 78 cidades que decretaram situação de emergência no Maranhão em função das chuvas e confirmaram a suspensão do ano letivo de 2009 por tempo indeterminado. O problema é que a maioria das escolas está alagada ou serve de abrigos para desalojados ou desabrigados no Estado.

 

Veja também:

link Ceará já tem 22 mil desabrigados por conta das chuvas

link Chuva afeta 1 milhão em 12 Estados

 

O Senado realizou nesta terça-feira, 12, um debate para tentar encontrar soluções para todos os problemas causados pelas enchentes no Nordeste. O senador Epitácio Cafeteira Afonso Pereira se emocionou durante a discussão e chorou.

 

Segundo dados da Secretaria Estadual de Educação do Maranhão, somente na rede estadual 54 escolas estão desativadas. Diretamente, 22.622 alunos estão sem aulas apenas na rede pública estadual. Nas redes municipais dos municípios atingidos, pelo menos mais outras 70 escolas e cerca de 30 mil alunos estão sem aulas. O maior número de escolas atingidas estão nas cidades de Itapecuru-Mirim, Bacabal, Pedreiras e Trizidela do Vale. Os números são parciais e a quantidade de escolas afetadas é ainda maior.

 

De acordo com o secretário estadual de Educação do Maranhão, César Pires, será necessária a revisão do calendário letivo esse ano. E, por conta disso, o estado viverá uma situação inusitada: haverá, no mesmo estado, dois anos letivos - um para as cidades não atingidas e outro para os municípios inundados. Ainda segundo ele, não é possível se determinar o reinício das aulas nas cidades atingidas pelas chuvas. "O estado (das escolas) é lamentável e será necessário um mutirão para retomar as aulas", afirmou.

 

Segundo dados da Defesa Civil Estadual do Maranhão, 74.263 pessoas estão desabrigadas ou desalojadas e nove mortes já foram confirmadas. Foi incluída uma morte por afogamento de uma garota de 18 anos na cidade de Trizidela do Vale. Ao todo, o Maranhão já contabiliza 204.884 afetados pelas chuvas. Nesta terça-feira, o Embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Clifford Sobel, anunciou o repasse de US$ 50 mil à agência de ajuda humanitária Cáritas Brasileira, Regional Maranhão. O Wal-Mart também anunciou uma doação de 5 toneladas de alimentos e a Alcoa (Alumar) a doação de outros US$ 50 mil às famílias desabrigadas.

Mais conteúdo sobre:
chuvasMaranhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.