Escrivão que disse à vítima para se mudar do Morumbi é afastado em SP

Policial foi afastado pelo delegado titular do DP e transferido para a 3ª Delegacia Seccional Oeste

estadão.com.br,

04 Novembro 2011 | 10h59

SÃO PAULO - A Polícia Civil resolveu afastar o escrivão do 89ºDP que teria dito às vítimas que foram reféns de assaltantes armados em um roubo ao apartamento delas na última quarta-feira, 2, no Morumbi, para se mudarem do bairro por falta de segurança.

Segundo informações da secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP), o escrivão foi afastado pelo delegado titular do DP, Carlos Battista, e transferido para a 3ª Delegacia Seccional Oeste. O nome dele não foi divulgado.

A Polícia civil informou que deverá abrir um procedimento administrativo para apurar se o policial cometeu alguma infração disciplinar.

O ator Diogo Picchi afirmou à imprensa na quarta-feira, que foi orientado a se mudar do bairro do Morumbi porque a região estava muito perigosa.

Assalto. O casal de atores Diogo Picchi, 34, e Gabriela Portieri, de 20, hospedados na casa do produtor de filmes Antonio Carlos de Matos, 46, foi rendido por dois bandidos pouco depois das 4 horas na garagem, na última quarta-feira. Eles foram levados ao apartamento no 8º andar e ficaram sob a mira de uma arma. "Foram bem ameaçadores e disseram que estavam drogados", disse Picchi, que levou coronhadas na cabeça.

Segundo Matos, o escrivão da polícia chegou a sugerir às vítimas que mudassem do bairro. "Ele foi categórico e disse: 'Vocês estão no Morumbi, elite, cercados por zona sul (bairros de periferia) e nós não temos como proteger vocês. Não por culpa nossa, mas porque não temos efetivo e pessoas qualificadas'." As vítimas também acusam a polícia de não agilizar a apuração./COM INFORMAÇÕES DE CAIO DO VALLE - O ESTADO DE S.PAULO

Mais conteúdo sobre:
escrivão morumbi afastado

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.