Espancamento na Luz

Por volta de 0h10 de 26/7, três amigos meus estavam na plataforma da Estação Luz para pegar o trem com destino a Rio Grande da Serra. Um deles acendeu um cigarro e foi advertido. Apagou-o, mas uma discussão começou e os seguranças o exigiram que ele saísse da estação. Ele se recusou a sair e entrou com os outros amigos no vagão. Oito seguranças chamaram mais dois pelo rádio e pediram seu documento. Ele mostrou o crachá e se recusou a sair do trem. Então, levou uma chave de braço e foi puxado para fora. Os outros dois o acompanharam e todos foram revistados e coagidos a sair da estação. Enquanto desciam a escada, uns dez seguranças (terceirizados e da CPTM, sem identificação, mais um sem uniforme) agrediram um deles pelas costas. Quem comandava os seguranças os levou para um lugar escuro, onde foram novamente agredidos e depois encaminhados até o fim da plataforma. Um segurança apontou uma arma, enquanto os ofendia, e disse que eles receberam o "corretivo" porque tiveram uma conduta errada - era 1h40 quando as agressões cessaram. Meus amigos registraram um Boletim de Ocorrência e retornaram às 4 horas para usar o trem, porque não tinham outra alternativa de transporte. FELIPE MARINELI Santo André A Assessoria de Imprensa da CPTM esclarece que a companhia instaurou um procedimento administrativo, que constatou o descumprimento de normas e procedimentos relativos à condução de casos dessa natureza. Informa que os envolvidos serão responsabilizados e sofrerão sanções administrativas e disciplinares de acordo com seu grau de envolvimento na ocorrência. Inspeção Veicular Meu avô mora em Lucianópolis, região de Bauru, e tem uma caminhonete movida a diesel com placa de São Paulo. Quando se iniciou a inspeção veicular obrigatória para todos os veículos a diesel, ele não podia dirigir, pois fizera uma cirurgia. Recuperado, tentou regularizar a situação, mas um funcionário da Controlar de Bauru disse que ele teria de fazer a inspeção em São Paulo. Ele foi até a capital e recebeu uma multa na estrada por não estar com os documentos em dia - ele ia fazer justamente isso - e foi reprovado na vistoria. Pagou de novo a taxa, fez outra inspeção e o carro foi aprovado. Depois, descobriu que moradores de outras cidades são isentos da inspeção. Por que o primeiro funcionário da Controlar não o informou? Meu avô decidiu consultar a Secretaria do Verde e Meio Ambiente e foi informado de que, depois de começar o processo de inspeção, não se pode mais solicitar a isenção. ALICE P. WAKAI São Paulo A Assessoria de Imprensa da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente informa que só os centros de inspeção da Controlar que funcionam na capital estão habilitados a fazer a inspeção, pois a empresa venceu licitação feita pela Prefeitura. O programa começou em 2008 com a frota a diesel, em 2009 incluiu a frota de motos e automóveis registrados entre 2003 e 2008 e, em 2010, se estenderá a toda a frota registrada na cidade. E, uma vez iniciado o processo da inspeção, o veículo precisa ser aprovado e, o dono, após aprovação, pode pedir a devolução da tarifa paga se não estiver com o nome incluído no Cadin Municipal, sem dívidas de IPVA ou multas de trânsito. O crédito será feito na conta corrente indicada no dia 10 do mês seguinte ao do envio da solicitação. Os donos de carros que circulam apenas fora da região metropolitana de São Paulo podem pedir a isenção no Setor de Protocolo da Secretaria do Verde com o RG, CPF, comprovante de residência, Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (pessoas físicas)as pessoas jurídicas também devem levar o ato de constituição da empresa atualizado. Saúde pública No dia 5 de agosto torci o joelho e procurei um posto de saúde próximo à minha casa. Lá disseram que eu deveria me dirigir a uma Assistência Médica Ambulatorial (AMA). Uma funcionária da AMA, que com toda certeza não tem nenhuma noção de medicina, disse que ali não resolveriam meu problema e que eu deveria procura um ortopedista no Hospital da USP. Dirigi-me ao hospital, recebi uma senha na entrada, fui cadastrado e encaminhado para triagem. Lá fui examinado e encaminhado para a Assistência Social, onde recebi um impresso constando o telefone que eu deveria ligar para marcar uma consulta. Ao telefonar, soube que só conseguiria ser atendido daqui a um mês. Estou sem solução para meu problema, contudo, ficou claro o bom atendimento na área da saúde, pois fui sempre recebido com muita cordialidade. Em suma: o atendimento é excelente, só o resultado é pífio. JOÃO MENON São Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.