Especialistas concordam com decisão de juiz

A decisão do juiz Roberto Murillo Pereira Cimino, da 12ª Vara da Fazenda Pública, que considerou ilegal a portaria que criou o exame antidrogas para policiais civis e militares, tem a concordância de especialistas ouvidos pela reportagem.O criminalista Márcio Thomaz Bastos, ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) paulista e nacional, afirmou que ninguém pode ser obrigado a fazer prova contra si. "Em hipótese alguma", disse Bastos. "E da mesma forma se causar qualquer tipo de constrangimento", completou.O vice-presidente do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais (IBCCrim), Adriano Salles Vanni, ressaltou que é importante o combate ao uso de drogas entre policiais, mas afirma que o exame antidrogas é inadequado. "Isso deveria ser feito de outra forma, por acompanhamento de psicólogos e análise da conduta, por exemplo." Vanni considerou a decisão da Justiça acertada. "A inclusão da recusa no prontuário é uma forma de coação", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.