''Essa decisão é uma triste injustiça'', diz criminalista

"Essa decisão é uma triste injustiça", declarou o criminalista Arnaldo Malheiros Filho, que defende Rachelle Abadi. "Essa senhora é uma bancária de longa carreira num conglomerado familiar, que conheceu Celso Pitta na condição de diretor financeiro de uma grande empresa nacional, a Eucatex. O valor de US$ 1 milhão não seria desproporcional na rescisão do contrato de um executivo desse porte." Segundo Malheiros, "até então, nem pela imprensa ela ouvira falar que Celso Pitta poderia estar desviando dinheiro da administração, o que aliás sequer foi provado". O ex-prefeito Paulo Maluf sempre rechaçou ilegalidades na obra da Água Espraiada. Ontem, ele não foi localizado para falar sobre o caso.

Fausto Macedo, O Estado de S.Paulo

27 Julho 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.