Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

'Essa é a maior tragédia humanitária da nossa história', diz Jungmann

Em entrevista à Rádio Eldorado, ministro afirmou que o País nunca viveu situação similar nas fronteiras; desde o início do ano, já foram interiorizados 820 venezuelanos para diferentes Estados do Brasil

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

27 Agosto 2018 | 11h39

SÃO PAULO -  O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, disse que a crise dos imigrantes venezuelanos em Roraima é a maior tragédia humanitária da história brasileira. "Nós nunca tivemos nas nossas fronteiras algo sequer similar, semelhante", lamentou Jungmann. 

Em entrevista à Rádio Eldorado, o ministro disse que o impacto da imigração é muito maior e mais sensível na fronteira brasileira, dados os problemas já enfrentados por Roraima. Segundo ele, o governo federal colocou em Pacaraima (RR) uma estrutura para fazer o primeiro atendimento aos venezuelanos que chegam. "Em Boa Vista, nove abrigos estão funcionando e tem um décimo abrigo que está sendo construído, o que vai elevar para cinco mil as vagas para os imigrantes que chegam", explicou.

De acordo com o ministro, desde o início do ano, já foram interiorizadas 820 pessoas para diferentes Estados do Brasil. "A expectativa era de interiorizar algo como 2.500 venezuelanos. Nos abrigos temos capacidade para absorver com dignidade 5.500 venezuelanos. "Se esse número for ultrapassado, essas pessoas vão para rua. E se elas vão para a rua, aumentam as possibilidades de conflito", disse Jungmann. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.