''Está ficando feio para o PT e o PMDB'', diz Simon

Em discurso na tribuna do Senado, Pedro Simon (PMDB-RS) sugeriu ontem que o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, se afaste do cargo para que seja investigada a sua evolução patrimonial entre os anos de 2006 a 2010, quando era deputado federal.

, O Estado de S.Paulo

03 de junho de 2011 | 00h00

A medida, segundo Simon, deveria ser tomada por Palocci antes de ser instalada uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Congresso. "Está ficando feio para o PMDB e para o PT impedir que seja criada a CPI", afirmou o peemedebista.

Conhecido por discursos históricos que tocam em feridas políticas e deixam colegas de Parlamento ou o governo constrangidos, Simon disse ontem que há, até mesmo no PT, defensores da saída de Palocci do governo.

Para o peemedebista, o ministro deve considerar essa hipótese pelo fato de a crise que o envolve estar gerando constrangimentos à presidente Dilma Rousseff. A presidente, disse, está numa "situação delicada".

No discurso de Simon sobrou até para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para o senador, a atuação de Lula em favor de Palocci foi um "deslize" que tornou evidente o "vazio político" no atual governo. O senador lembrou o escândalo do mensalão fazendo uma comparação com a crise atual e disse que foi um erro, na época, tentar barrar a CPI.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.