Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Estação da Vale amanhece pichada em Governador Valadares

Frases de protesto contra a mineradora foram escritas em muro de parada de trem; cidade enfrenta colapso no abastecimento

Marco Antônio Carvalho, Enviado especial de O Estado de S. Paulo

12 de novembro de 2015 | 11h41

GOVERNADOR VALADARES - Uma parede da estação de trem da Vale em Governador Valadares, a cerca de 450 quilômetros de Belo Horizonte, amanheceu pichada nesta quinta-feira, 12. No local, estava escrito "A Vale mata", "G.V. não se cala. A culpa é da cia. Vale" e "Vale assassina".

A cidade no leste mineiro enfrenta um colapso no abastecimento de água desde segunda-feira, 9, quando a captação no Rio Doce foi interrompida pelo acúmulo de lama proveniente do rompimento de barragens em Mariana. Desde então, moradores enfrentam dificuldades até para comprar água mineral com o aumento na procura. 

As barragens pertenciam à mineradora Samarco, que tem a Vale com uma das suas controladoras. A estação alvo do protesto oferece viagens diárias para Vitória e Belo Horizonte. Nesta quarta-feira, 11, a Justiça havia deferido pedido do Ministério Público para que a Samarco passasse a fornecer 800 mil litros de água por dia para amenizar os problemas no abastecimento em Governador Valadares. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.