Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Estação da Vale amanhece pichada em Governador Valadares

Frases de protesto contra a mineradora foram escritas em muro de parada de trem; cidade enfrenta colapso no abastecimento

Marco Antônio Carvalho, Enviado especial de O Estado de S. Paulo

12 Novembro 2015 | 11h41

GOVERNADOR VALADARES - Uma parede da estação de trem da Vale em Governador Valadares, a cerca de 450 quilômetros de Belo Horizonte, amanheceu pichada nesta quinta-feira, 12. No local, estava escrito "A Vale mata", "G.V. não se cala. A culpa é da cia. Vale" e "Vale assassina".

A cidade no leste mineiro enfrenta um colapso no abastecimento de água desde segunda-feira, 9, quando a captação no Rio Doce foi interrompida pelo acúmulo de lama proveniente do rompimento de barragens em Mariana. Desde então, moradores enfrentam dificuldades até para comprar água mineral com o aumento na procura. 

As barragens pertenciam à mineradora Samarco, que tem a Vale com uma das suas controladoras. A estação alvo do protesto oferece viagens diárias para Vitória e Belo Horizonte. Nesta quarta-feira, 11, a Justiça havia deferido pedido do Ministério Público para que a Samarco passasse a fornecer 800 mil litros de água por dia para amenizar os problemas no abastecimento em Governador Valadares. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.