Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Estação Ipiranga do Metrô de SP fica pronta em junho

O secretário estadual de Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, anunciou na quinta-feira, 1º, que a Estação Alto do Ipiranga, da Linha 2 (Verde) do Metrô, será entregue em 30 de junho. ?Está em fase de acabamento?, disse. Essa é a quarta vez que se adia a entrega da obra, prevista inicialmente para setembro de 2006 - a última previsão era para 8 de abril. Portella, porém, não deu detalhes sobre o atraso.A estação, que faz parte do programa de expansão da Linha 2, será ligada a um novo trecho de 3,4 quilômetros, até a futura Estação Vila Prudente, na zona leste. Entre as duas serão construídas as estações Sacomã e Tamanduateí. O secretário disse que as obras de extensão devem começar em 45 dias. ?A previsão é entregar tudo na metade do último ano do governo (2010). É um compromisso de campanha do governador.? Até o fim da gestão José Serra (PSDB) também deverá ficar pronto para licitação o projeto da ligação da Estação Vila Prudente com a Estação Tatuapé, da Linha 3 (Vermelha) - uma extensão de 3 quilômetros.Serra disse que o governo vai adquirir, por meio de um financiamento do Banco Mundial, 57 composições - 17 para o Metrô e 40 para a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). As do Metrô devem custar US$ 15 milhões cada, e as da CPTM, US$ 17 milhões. Elas deverão ser entregues daqui a três anos.Passagem a R$ 2,10O Metrô e a CPTM voltarão a vender bilhetes múltiplos após a extinção da cartela válida para dez viagens em junho de 2006. Em um mês, as estações de trem e metrô vão oferecer um múltiplo de 20 unidades a R$ 42,00 - ou seja, R$ 2,10 cada. A economia em relação à tarifa normal, de R$ 2,30, será de 8,7%.Esta é a primeira vez que o preço do metrô e trem será inferior à passagem do ônibus, hoje em R$ 2,30. Ainda assim, Portella acredita que não haverá superlotação do sistema. Ele estima que pelo menos 200 mil passageiros, do Metrô e da CPTM, usem o ?bilhete fidelidade? por dia - cerca de 10% dos embarques. O impacto nas contas do Metrô, por causa do desconto, deverá ser de R$ 10 milhões, mas Portella afirma que isso será coberto pelo corte de gastos da companhia em revisão de contratos e extinção de cargos de confiança - estimado em R$ 100 milhões.O secretário disse que, em 60 dias, estarão à disposição dos passageiros o bilhete-dia e o bilhete-fim de semana. O primeiro, ainda sem valor definido - ?um pouco mais caro? que o normal, disse Serra -, permitirá que o usuário faça ilimitadas viagens durante um dia. O segundo bilhete funcionará da mesma forma, só que das 15 horas de sábado às 20 horas de domingo, com o objetivo de incentivar o turismo na capital nos fins de semana, quando o fluxo de passageiros é menor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.