Estação volta a expor as 4 obras roubadas

Encerramento de mostra foi adiado para outubro

Humberto Maia Junior, O Estadao de S.Paulo

26 Agosto 2008 | 00h00

As quatro obras roubadas da Estação Pinacoteca, em São Paulo, voltam a ser expostas hoje, pouco mais de dois meses após serem furtadas. Não haverá cerimônia ou evento especial. Inicialmente, deveriam ficar expostas na Pinacoteca só nesta semana. Por causa dos furtos, o encerramento da mostra foi adiado para o dia 5 de outubro. No dia 12 de junho, três homens armados pagaram ingresso, entraram pela porta da frente e furtaram Mulheres na Janela (1929), óleo sobre cartão de Di Cavalcanti; O Pintor e seu Modelo (1963), gravura de Pablo Picasso; Minotauro, Bebedor e Mulheres (1933), outra gravura de Picasso; e Casal (1919), guache sobre cartão de Lasar Segall. As quatro obras estão avaliadas em US$ 560 mil. As obras passaram por análise técnica de peritos da Fundação Nemirovsky, dona dos quadros e gravuras. A autenticidade foi comprovada. Todas estavam em perfeito estado. Apenas as molduras passaram por manutenção. "Cada obra tem detalhes que seriam difíceis de serem reconstituídos numa falsificação", explicou a assistente da diretoria da Fundação, Soraya Bataglia. A primeira obra recuperada foi O Pintor e seu Modelo, no dia 19 do mês passado. A gravura estava escondida sob o telhado de um prédio da Cohab José Bonifácio, em Itaquera, zona leste. Uéslei Teobaldo Barros, de 30 anos, foi preso no local. No dia 6, a polícia recuperou o guache de Segall e o óleo de Di Cavalcanti. A última obra, Minotauro, Bebedor e Mulheres, foi encontrada no dia 16, após ter sido devolvida pelos ladrões. A gravura de Picasso foi abandonada perto do km 13 da Rodovia Raposo Tavares. FORAGIDOS Além de Barros, foram presos Edmílson Silva do Nascimento e Alex Santana dos Santos. Três acusados estão foragidos: Marcelo Dias de Souza, Paulo César Soares e Diego Constantino de Oliveira. Os dois primeiros são acusados por policiais do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic) de entrar com Barros na Pinacoteca e furtar as obras. Hoje, a Estação será aberta no horário habitual, às 10 horas, e fechará às 18 horas. O ingresso custa R$ 4. No sábado, a entrada é gratuita.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.