Estado quer entrar como avalista para a baixa renda

O governo estadual quer criar um fundo garantidor para estimular o acesso da população de baixa renda a financiamento privado na compra da casa própria. Na prática, o Estado seria o avalista, dando garantias ao mercado de que a dívida será paga, em caso de inadimplência pelo comprador. A capitalização das construtoras e o aumento do crédito fizeram aumentar a oferta para famílias com renda entre quatro e dez salários mínimos, antes atendidas exclusivamente pela CDHU. "Mas o setor privado não investe o suficiente em habitação para a baixa renda por medo de inadimplência", diz o secretário estadual da Habitação, Lair Krähenbühl. "Faremos parcerias público-privadas." O primeiro projeto com o setor privado, segundo ele, será lançado até outubro, com 5 mil unidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.