Estado vai instalar 11 mil câmeras em escolas

Após dois episódios de quebra-quebra em escolas estaduais de São Paulo em um período de seis meses, a Secretaria de Estado da Educação vai anunciar na sexta-feira um plano de combate à violência nas unidades da rede pública. A promessa anterior era de que ele seria lançado no começo do ano letivo e para todas as escolas do Estado. Agora, o programa prevê a instalação, a partir de agosto, de 11 mil câmeras em 2,2 mil unidades, das mais de 5 mil que compõem a rede. Haverá a distribuição de manuais de segurança e a criação de um sistema online de registros de ocorrências. A Secretaria da Educação passará a contar com a assessoria de um oficial da Polícia Militar, que fará a ligação com a Secretaria da Segurança Pública.As informações foram passadas ontem pelo secretário da Educação, Paulo Renato Souza. Ele fez a declaração após participar de evento de assinatura de convênios para a abertura de 9 mil vagas no ensino técnico estadual. Segundo Paulo Renato, a secretaria está finalizando a licitação para adquirir os equipamentos e contratar uma empresa de monitoramento.A partir do anúncio do plano de segurança, as escolas receberão dois livretos. Um trará normas de conduta para professores, funcionários e alunos; o outro, orientações aos diretores sobre como proceder em caso de emergência. Paulo Renato também informou que será criado, no site da secretaria, um espaço para que os diretores registrem ocorrências, desde agressões entre alunos até tráfico de drogas. O site receberá denúncias anônimas.Os quebra-quebras foram na Escola Estadual Amadeu Amaral, no Belém, em novembro, e na Prof. Antônio Firmino de Proença, na Mooca, no dia 15. O governador José Serra concluiu o ensino médio ali.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.