GABRIELA BILO / ESTADAO
GABRIELA BILO / ESTADAO

'Estamos estocando água em balde e panela', diz morador de Colatina

Cidade do Espírito Santo enfrentará corte no abastecimento por causa da lama proveniente do rompimento de barragens em Mariana

Marco Antônio de Carvalho, Enviado especial

09 Novembro 2015 | 21h26

COLATINA (ES) - Preocupados com o corte no abastecimento programado para ocorrer na manhã desta terça-feira, 10, moradores de Colatina, a 130 quilômetros de Vitória, começaram a estocar água de todas as formas possíveis. Ainda não se sabe qual será a duração do corte na cidade, que contará com apoio de carros-pipa.

Sentado em um banco na margem do Rio Doce, o empresário Haroldo Rosa da Silva, de 31 anos, contou como se prepara para os próximos dias. "Moro em prédio e estou estocando água em balde, panela, no que dá. E essa água é só para beber, nada de ficar gastando em banho. Na verdade, a gente não entendeu direito qual será a dimensão disso. Só não comprei uma caixa porque não haveria espaço no apartamento", disse.

O vendedor Renato Paulo Sales, de 32 anos, bem que tentou comprar mais uma caixa d'água, mas não conseguiu. "Fui em várias lojas e não encontrei caixa na cidade inteira. Está todo mundo atrás e deve ter esgotado. Moro aqui desde que nasci e nunca tinha visto isso, nem quando dá enchente", disse.

O noticiário de problemas em cidades de Minas já fez a população local se mobilizar desde o fim de semana para tentar enfrentar o problema estocando água.

A situação também aflige moradores de rua. O serralheiro José Marcos Borges Brito, de 34 anos, contou que não tem nenhum local onde poderá buscar água nesta terça. "Estava num albergue, mas nosso tempo esgotou. Mas acredito que eles não vão receber mais ninguém a partir de amanhã por causa dessa situação. Estamos sem saber o que fazer."

 

Mais conteúdo sobre:
Espírito SantoSamarco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.