Estão presos 15 envolvidos em ataques do PCC, diz Alckmin

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que 15 pessoas suspeitas de estarem envolvidas nos ataques às polícias já foram presas. Ele reiterou que "não há nenhuma hipótese de o governo recuar um milímetro", em referência aos atentados contra a polícia e às bases comunitárias da corporação em todo o Estado desde o último final de semana. Segundo o governador, essas ações, que estão sendo atribuídas a facções criminosas como o Primeiro Comando da Capital (PCC), são reações por conta da dureza com que os criminosos dessas organizações estão sendo tratados. Alckmin reafirmou que a polícia de São Paulo está mobilizada e que todas as unidades da corporação, como Tropa de Choque e setores de inteligência, estão atuando nas ruas.Questionado sobre a possibilidade de o PCC realizar uma "megarebelião" no próximo fim de semana nas cadeias do Estado, Alckmin respondeu: "Não temos rebelião em penitenciárias há quatro meses e há oito nenhum preso consegue fugir delas."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.