Estelionatários se passam por bombeiros para dar golpe

Um golpe tornou-se freqüente em algumas cidades do Vale do Paraíba como Aparecida, Guaratinguetá e Cruzeiro. Estelionatários usam o nome do Corpo de Bombeiros para conseguir documentos e até depósitos bancários das vítimas, enganadas pelo telefone. Os golpistas ligam e perguntam pata quem atende: "tem alguém da família fora de casa?" Ao receber a resposta afirmativa, ouve-se em seguida: "Aqui é do Corpo de Bombeiros e nos estamos ligando para avisar que ele sofreu um acidente e precisamos confirmar os dados pessoais. Qual é o nome completo? Qual é o número do CPF?". Apavoradas, as vítimas passam todos os dados e fazem tudo o que a pessoa ordenar. No Corpo de Bombeiros de Guaratinguetá sete casos já foram registrados em menos de dois meses, mas em apenas um deles a vítima teria feito um depósito, acreditando que estivesse salvando a vida de um parente. "Não temos dados dessa pessoa, mas esta informação nos chegou por telefone", informou o bombeiro, tenente Lima de Freitas.Em nota oficial, o Corpo de Bombeiros pede que as pessoas que receberem os telefones não passem nenhuma informação. "Nosso trabalho termina no pronto socorro, para onde levamos as vítimas. Jamais fazemos contato com as famílias", alerta o comandante da corporação de Guaratinguetá, capitão Ênio Aparecido Fernandes.Em uma das tentativas de golpe a vítima conseguiu ver o número do telefone, pelo identificador de chamadas e as informações foram passadas à Polícia Civil, que investiga o caso. O número de onde partia o trote era do Rio de Janeiro. "Em caso de dúvida as pessoas devem desligar o telefone e ligar para 193 que é o número dos Bombeiros".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.