''Estimo que em um ano eu consiga reconstruir''

O prefeito Ademar Felisky (PMDB) conseguiu um segundo voto de confiança dos eleitores de Ilhota com o discurso de priorizar melhorias da infra-estrutura do município. Ele já anunciou que não vai cumprir a promessa. Todos os esforços serão agora para reconstruir a zona rural do município, devastado pela catástrofe no Morro do Baú. Enquanto durar o drama dos desabrigados, os moradores ficarão aos cuidados da prefeitura. Nascido no município 40 anos atrás, Felisky admite que nunca viu nada parecido.O sr. foi reeleito. O que fazer agora? Todos os planos que tínhamos para empregar a partir de janeiro de 2009 vão ser engavetados. Minha prioridade vai ser reconstruir toda a região (do Morro do Baú). O plano era de R$ 4 milhões de investimentos, mas agora precisarei muito mais do que isso só para recuperar as áreas afetadas. Vou pedir dinheiro ao governo federal, estadual.Como recuperar a terra arrasada?Há localidades que talvez tenhamos de abandonar. Um cidadão que tinha um terreno de 22 hectares, ficou só com 2. Vinte desceram morro abaixo. Vamos ter de adquirir nova área segura para ele. Agora será difícil indenizar, mas as vítimas podem entrar na Justiça.Algum prazo para a reconstrução?Estimo que em um ano eu consiga reconstruir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.