Estoques de sangue em SP melhoram, mas situação é crítica

Os estoques de sangue no Estado de São Paulo tiveram um leve aumento nos últimos dias, mas ainda correm o risco de acabar, de acordo com a instituição Pró Sangue, que deve divulgar um balanço na terça-feira, 10, após campanha realizada pelo governo do Estado para conseguir novas doações. Segundo a Secretaria da Saúde de São Paulo, a situação tornou-se crítica no último mês, com queda de 40% nos estoques, em média. Um balanço mostrou que mensalmente os oito hemocentros estaduais coletam cerca de 7.000 bolsas, mantendo estoque para quinze dias de utilização. Hoje há apenas 4.200, e o ritmo é de queda. "Precisamos da colaboração dos paulistas. É muito importante recuperar as bolsas perdidas", afirma o secretário de Estado da Saúde. Neste feriado prolongado a Secretaria de Saúde manterá 11 unidades abertas: mais informações podem ser obtidas pelos sites do Pro Sangue ou da Associação Beneficente de Coleta de Sangue (Colsan)ou pelos telefones 0800.550300 (Pró Sangue) e (11) 5055.6588 (Colsan). No interior e litoral é preciso verificar em cada hemocentro. A doação de sangue é voluntária e o doador precisa ter entre 18 e 65 anos e pesar mais de 50 quilos.O doador também deve manter-se alimentado e apresentar documento de identidade, com foto. Não pode doar sangue quem teve hepatite após os 10 anos de idade, quem é usuário de droga injetável ou portador de hepatite B, hepatite C ou vírus HIV (Aids).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.