´Estou vivendo um sonho mau´, afirma Ronaldo Esper

Completamente emocionado, o estilista Ronaldo Esper, 62 anos, afirmou nesta tarde em entrevista ao programa "A Tarde é sua", da Rede TV!,que está "vivendo um sonho mau". O estilista ficou preso por dois dias na semana passada por roubar vasos de flores no cemitério do Araçá, na zona oeste de São Paulo.Esper explicou que sofre de depressão e pediu para que "as pessoas não vejam as pessoas que têm depressão como pobres coitadas. As pessoas com depressão merecem compreensão e piedade, porque ela (a depressão) é uma doença localizada na alma, tem de tratar todo dia". Ele contou ainda que estava sob efeito de um antidepressivo no dia do furto.Esper descobriu a doença há quatro anos. "Um dia eu saí na rua e, de repente, parecia que a rua era um colchão de água e eu pensei que fosse desmaiar. Então, eu me agarrei num poste e chamei um táxi. Expliquei ao motorista que estava passando muito mal, quando cheguei ao ateliê eu já estava muito bem, mas foi a gota d`água. Deste dia em diante eu comecei a procurar médicos, e passei dois anos até que um psiquiatra entendesse o que estava acontecendo comigo".Chorando, ele declarou que foi ao cemitério para fazer uma caridade, rezar para as almas e se confessou estar revoltado com Deus. "Não é possível que alguém que vá para fazer uma devoção ao pai, ao irmão e às demais almas possa passar por um constrangimento desses. Nunca tinha me imaginado numa situação dessas", afirmou."Eu não roubei absolutamente nada, porque os objetos não saíram de dentro do cemitério", reclamou Esper.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.