Estrangeiro acusado de pedofilia será processado

O panamenho Silas Gonzáles de 38 anos deve ser ouvido na Justiça baiana no dia 1º no processo em que a promotoria do município baiano de Senhor do Bonfim, a cerca de 350 quilômetros de Salvador, o acusa de pedofilia. Gonzáles foi preso ao ser flagrado num quarto de hotel da cidade com duas menores uma de 11 e outra de 17 anos. No quarto havia dois amigos dele que estavam, aparentemente, dormindo e também foram presos, mas libertados dias depois. Conforme o delegado de Senhor do Bonfim, Ricardo Barros, as duas garotas disseram que Gonzáles havia lhes oferecido dinheiro para praticar sexo, mas elas se recusaram. Contudo, as duas foram encontradas no quarto com o panamenho. "Ele disse que estava assistindo televisão e nem percebeu quando as garotas entraram", disse o delegado sem acreditar muito na versão do acusado. Depois que o inquérito foi concluído por Barros, o promotor Edmundo Reis denunciou Gonzáles à Justiça local. Se for condenado ele pode pegar uma pena que varia de 4 a 10 anos de prisão. Gonzáles e os dois colegas portavam vistos de turistas, mas se identificaram como "pedristas", como são conhecidos os negociantes de pedras preciosas. Segundo o delegado Barros, muitos estrangeiros são atraídos para o norte baiano, principalmente o município de Campo Formoso, vizinho a Senhor do Bonfim, para comprar esmeraldas e outras pedras preciosasque revendem no Exterior.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.