Estrutura de prédio da TAM Express será removida

Após uma avaliação técnica do prédio da TAM Express atingido pelo vôo 3054 da TAM, na noite de terça-feira, equipes do Corpo de Bombeiros auxiliadas por uma empresa de engenharia decidiram nesta quinta remover a parte estrutural do edifício. "Vamos retirar as estruturas antes de entrar. Como o colapso (das estruturas do prédio) foi total, escoras não funcionariam", disse o porta-voz da corporação, capitão Mauro Lopes. O Airbus A320 da TAM sofreu o mais grave acidente da história do país ao tentar pousar na pista molhada do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. A aeronave atravessou uma avenida movimentada, se chocou contra dois prédios próximos e um posto de gasolina e pegou fogo. O saldo de mortos até o momento é de 185 pessoas. O bombeiro disse que foi feita uma análise dos prédios atingidos pelo avião para evitar riscos à segurança das pessoas que estão trabalhando no resgate dos corpos. Além do trabalho de remoção de vítimas, os bombeiros conseguiram retirar todo o combustível do posto de gasolina ao lado do prédio, eliminando assim possíveis riscos de explosão. Segundo Lopes, 105 mil litros de combustíveis (gasolina e álcool) foram retirados do local. Ele afirmou ainda que no avião também não há mais combustível. Os tanques do posto de gasolina estão sendo enchidos com água para retirar resíduos e dar sustentação para a entrada de maquinário pesado no prédio. Na manhã desta quinta-feira ainda há fumaça e cheiro de queimado na área do acidente. De acordo com Lopes, dentro do prédio da TAM Express estão o nariz do avião, assim como as rodas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.