Luiz da Luz/O Popular
Luiz da Luz/O Popular

Estudante agredido por capitão da PM em Goiás deixa UTI

Mateus Ferreira da Silva estava em unidade intensiva desde 28 de abril, quando foi atacado; ele ficará na enfermaria, recebendo acompanhamento médico

O Estado de S.Paulo

09 Maio 2017 | 16h02

SÃO PAULO - O estudante Mateus Ferreira da Silva, agredido pelo capitão da Polícia Militar de Goiás Augusto Sampaio de Oliveira Neto, teve alta médica da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), onde estava desde 28 de abril. Ele continuará internado em leito de enfermaria, recebendo acompanhamento médico.

As informações foram divulgadas nesta terça-feira, 9, pelo Hugo. De acordo com a unidade, o estudante de 33 anos tem situação estável e está consciente, orientado, verbalizando e respirando de forma espontânea. "Na noite desta segunda, 8 de maio, paciente teve alta médica da UTI humanizada do Hugo para um leito da enfermaria, onde será acompanhando em tratamento conservador pela equipe da neurocirurgia", informou em nota.

O hospital informou que, até o momento, não há previsão para novos procedimentos cirúrgicos.O estudante foi ferido durante manifestação e o golpe de cassetete desferido pelo capitão provocou diversos traumas e foi necessário procedimento cirúrgico para refazer ossos que contornam o nariz e retirar parte do osso frontal (testa). Silva também fraturou a clavícula e precisa fazer reconstituição cirúrgica de membranas que protegem o cérebro. O oficial foi afastado. 

Mais conteúdo sobre:
UTI Neto SÃO PAULO Hugo Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.