Estudante alemão morre de overdose na festa de despedida dos amigos da Unesp

Estudante alemão morre de overdose na festa de despedida dos amigos da Unesp

Jakob Steinmetz fazia intercâmbio em curso de engenharia no interior de São Paulo e teria misturado LSD com caipirinha

Chico Siqueira, Especial para O Estado de S. paulo

19 Outubro 2014 | 14h31


ARAÇATUBA - A Polícia Civil investiga a morte de um estudante alemão, que fazia intercâmbio na Universidade Estadual Paulista (Unesp). O jovem  morreu sexta-feira, 17, aparentemente por overdose causada por uso de álcool e LSD. 

Jakob Steinmetz, que estudava engenharia civil, teria bebido caipirinhas e consumido LSD na república em que morava, em Ilha Solteira, no interior de São Paulo. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu horas depois com hemorragia nasal.

Estudante no campus da Unesp de Ilha, Jakob se preparava para a festa de sua despedida, pois retornaria à Alemanha nos próximos dias. Os colegas de república disseram que o grupo se reuniu na noite de quinta-feira, 16, para tomar caipirinhas, antes de sair para um show sertanejo, e posteriormente para a festa de despedida de Jakob.

Segundo a polícia, Jakob estava com outros cinco colegas consumindo caipirinha. Quando os rapazes se preparavam para sair, Jakob teria entrado no banheiro e feito uso da droga, mas minutos depois de sair, começou a passar mal, passando a apresentar comportamento agressivo. 

Enquanto quatro amigos saíram, um deles ficou para tomar conta do alemão, que depois de pular, dar socos e quebrar objetos da sala, caiu e passou a ter convulsões. Socorrido pelos bombeiros ao pronto-socorro, foi transferido depois para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital de Ilha Solteira, onde morreu pela manhã.

A polícia não encontrou entorpecente no banheiro e no quarto do rapaz, mas apreendeu um vidro de Anador que teria sido usado por Jakob para fazer uso do entorpecente. Amigos do rapaz disseram que, antes de morrer, ele contou ter feito uso de LSD por inalação e que a droga estaria dentro do vidro de Anador, que foi enviado para análise do Instituto de Criminalística. O corpo de Jakob passou por exames, e os laudos conclusivos da morte devem sair em 30 dias.

Jakob estava no País havia três meses, fazendo curso de engenharia civil na Unesp por meio do programa Internacional Association for the Exchenge of Students for Tecnical Experience (Iaeste), que envia jovens para o exterior e recebe estudantes de diversas nacionalidade para cursos no Brasil. 

O corpo do rapaz continuava neste domingo em uma funerária da cidade de Pereira Barreto, vizinha a Ilha Solteira. Até este domingo, familiares do rapaz, que foram avisados ainda na sexta-feira da morte dele, ainda não tinham chegado ao País. A Unesp informou que lamenta a morte e que está colaborando com as autoridades.

Mais conteúdo sobre:
OverdoseLSD

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.