Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Estudante baleada por colega em ataque a escola de Goiânia recebe alta

Adolescente de 14 anos ficou 20 dias internada; atingida por três tiros e com lesão na medula espinhal, ela ficou paraplégica

Marilia Noleto, especial para O Estado

09 Novembro 2017 | 18h34

GOIÂNIA - Após ficar quase 20 dias no Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo), uma adolescente de 14 anos que foi vítima do atentado no Colégio Goyases, no dia 20, recebeu alta na manhã desta quinta-feira, 9. Ela era a última vítima que seguia internada.

+++ Alunos, pais e professores homenageiam vítimas de ataque em Goiânia

A jovem foi transferida para o Centro de Reabilitação e Readaptação Doutor Henrique Santillo (Crer), em Goiânia, para tratamento de fisioterapia especializado.

+++ Autor de disparos em escola de Goiânia é levado a centro de internação

Ela foi atingida por três tiros: na mão, no tórax e no pescoço. Uma lesão na medula espinhal, no nível da 10ª vértebra da coluna torácica, deixou-a paraplégica de forma definitiva. Ela, no entanto, mostra-se confiante. "É uma nova etapa. Agora terei que caminhar com rodinhas, mas tenho muita fé."

+++ Com arma da mãe PM, aluno de 14 anos mata 2 e fere 4 em escola de Goiânia

A adolescente também agradeceu por todo o apoio que recebeu de amigos e até mesmo desconhecidos, que mandaram mensagens pelas redes sociais. "Vou superar tudo isso porque sou forte, determinada e acredito em Deus. Pessoas como você e outras que nem me conhece e minha família me dão coragem para seguir em frente", escreveu em seu Facebook.

Além da jovem, outras três vítimas foram feridas no ataque quando um dos alunos do 8° ano atirou contra os colegas de classe, matando os adolescentes João Pedro Calembo e João Vitor Gomes, ambos de 13 anos. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.