Estudante é assassinado dentro do campus da Universidade Federal do Maranhão

Kelvin Rodrigues Ribeiro, de 22 anos, foi encontrado morto por colegas de turma no banheiro do Centro de Ciências Humanas da universidade

Diego Emir, Especial para o Estado

06 de agosto de 2016 | 15h49

SÃO LUÍS - Um estudante de Ciência e Tecnologia foi assassinado a golpes de faca dentro de um banheiro nesta sexta-feira, 5, na Universidade Federal do Maranhão (UFMA). O crime que vitimou Kelvin Rodrigues Ribeiro, de 22 anos, ocorreu na cidade universitária Dom Delgado, no Centro de Ciências Humanas (CCH) da UFMA. Um evento acadêmico era realizado no campus no momento do assassinato.

Segundo informações da polícia, o estudante, que havia iniciado o curso de Bacharel em Ciência e Tecnologia, recebeu várias perfurações nas costas. Ribeiro foi encontrado morto por colegas de turma em um banheiro do CCH, informou a polícia. No momento do homicídio, ele participava de um evento cultural do I Encontro da Juventude Porra Louca da UFMA.

O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios da capital. Em nota, a Superintendência da Polícia Civil disse que "abriu uma linha de investigação para identificar a motivação e autoria do assassinato do estudante". O órgão, porém, não esclareceu detalhes da investigação. Também não foi informado se a polícia identificou algum suspeito.

A organização do evento emitiu uma nota de esclarecimento em que chama o assassinato de "crime bárbaro". "A mais profunda e inquietante indignação toma conta de nossos corações neste momento. Vimos a público manifestar nosso pesar coletivo sobre o assassinato do estudante Kelvin Rodrigues Ribeiro ocorrido na noite da última sexta-feira, dia 05 de agosto de 2016: trata-se de um crime bárbaro, injustificável e sem precedentes na história na Universidade Federal do Maranhão", dizem os organizadores.

Por nota, a UFMA manifestou pesar pela morte do estudante e decretou luto oficial de três dias. A universidade informou que vai prestar assistência à família e se dispôs a colaborar com a polícia para o esclarecimento do crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

  • Novembro Azul: entenda a campanha de prevenção do câncer de próstata
  • DPVAT: o que é e como funciona o seguro obrigatório?
  • Yuval Harari: “Algoritmos entendem você melhor do que você mesmo se entende”

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.