Estudante é encontrada morta em casa

A estudante Viviane Maria Godinho Guimarães, de 19 anos, foi encontrada nesta quarta-feira pelos pais morta na cozinha do apartamento onde mora a família, com perfurações no peito e no rosto, provavelmente causadas por facadas. O principal suspeito, Anderson Carlos Toledo Batista, de 24 anos, amigo da vítima, já está preso na 18ª Delegacia Policial. Ele foi reconhecido pelo porteiro Aguinaldo da Silva Cerqueira como o homem que subiu ao apartamento com autorização de Viviane antes do crime. Anderson nega e diz que estava em Macaé, município do norte fluminense, quando tudo aconteceu, a centenas de quilômetros do local do assassinato, edifício número 508 da Rua Joaquim Palhares, na Praça da Bandeira, zona norte da capital. A polícia entretanto, encontrou manchas de sangue na mochila do acusado. O pai de Viviane, o professor Sérgio Artur Cardoso Guimarães, de 57 anos, e a mãe, a dona de casa Cláudia de Fátima Godinho, de 40, dormiam em quartos separados na hora do crime e não ouviram nem viram nada de anormal. Cláudia conta que dormia no mesmo quarto da filha única quando o interfone tocou. Viviane disse que era Anderson e foi atender à porta. A mãe confirma a amizade dos dois, mas nega que o rapaz freqüentasse a casa da família habitualmente. O corpo de Viviane foi encontrado pelo pai quando ele foi à cozinha do apartamento, depois de ter-se levantado para tomar um banho. Cláudia diz que a filha estava deprimida há três meses por causa do fim de um namoro, mas era uma pessoa alegre e tinha sido aprovada recentemente no vestibular para Letras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.