Estudante é morto com 11 tiros na porta da escola

Eram 21h45 desta terça-feira quando um homem aproximou-se do estudante Diogo Paulino Claro, de 17 anos, que estava a poucos metros da Escola Municipal Alcides Etchegoi, no Jardim Arpoador, na zona oeste de São Paulo.Segundo testemunhas, Claro negou que fosse quem o homem estava procurando. Mesmo assim, o assassino atirou. Foram 11 disparos na cabeça da vítima, que morreu quando estava sendo levada para o pronto-socorro do Hospital Bandeirantes.Este foi o segundo assassinato de estudantes ocorrido perto de escolas municipais em uma semana. O primeiro foi registrado na quarta-feira da semana passada, à noite, no Jardim Helena, na zona leste, próximo da Escola Municipal Artur Neiva.Quatro suspeitos de participar da morte de Rodrigo Augusto Ferreira de Oliveira, de 16 anos, foram detidos. A polícia abriu inquérito para apurar o crime do Jardim Arpoador, mas informou ainda não ter pistas sobre a identidade do autor do crime."Estamos investigando o que houve. Mas nenhuma testemunha, por enquanto, soube descrever o assassino", afirmou o delegado Arquimedes Cassão Veras Junior, titular do 75º Distrito Policial. Após os disparos, o assassino fugiu. "Por pouco os guardas municipais da escola não conseguiram detê-lo", disse o delegado.A polícia divulgou dois números de telefone para os quais quem tiver informações sobre o crime pode ligar, sem precisar identificar-se: 3783-3639 e 0800-156315.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.