Estudante é presa acusada de racismo em Londrina

Uma estudante de 19 anos foi presa em flagrante em Londrina sob a acusação de racismo. A prisão ocorreu na tarde da última segunda-feira, 17, e a estudante - cuja identidade não foi revelada pela Polícia - ficou detida até o meio-dia de hoje em uma cela individual do 3º. Distrito Policial. A vítima da discriminação, Maria Cristina da Silva, acusou a estudante de tê-la chamada várias vezes de "negra da favela" durante uma discussão ocorrida no interior de um ônibus urbano. A discussão foi presenciada pelos demais ocupantes do coletivo, que confirmaram a acusação, feita assim que Maria Cristina desembarcou no terminal central. A estudante foi levada do terminal diretamente para o distrito policial.O isolamento foi necessário para evitar que ela sofresse agressões das demais presas, que ameaçavam linchá-la. A maioria das prisioneiras do distrito é de cor negra.O juiz da 1ª. Vara Criminal, João Luiz Clève Machado, ordenou a liberdade provisória da estudante, que será processada por "injúria discriminatória". Ela chorou muito ao ser libertada. A presidente do Conselho da Comunidade Negra, Vilma Santos de Oliveira, contabiliza 60 denúncias de racismo em Londrina este ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.